Declaração do Imposto de Renda é uma das poucas certezas que temos durante a vida

Declaração do Imposto de Renda é uma das poucas certezas que temos durante a vida

Publicado por Zanini, 15/06/2018

Uma das certezas que o contribuinte brasileiro tem na vida é prestar contas ao “leão” todos os anos e no começo do ano, logo após o Carnaval. A entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física 2017 é obrigatória para quem se enquadra nas regras da Receita Federal. E isso vale tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica.

Mesmo sendo uma obrigação, muitos contribuintes ficam em dúvida sobre quem deve declarar, se há mudanças em relação ao ano anterior e se houve reajuste na tabela.

Tenho informado aos meus clientes aqui da Zanini Auditoria e também a quem me pergunta que a tabela não é corrigida desde 2015, ou seja, estamos há 3 anos sem reajuste.  Ou seja, no acumulado de 1996 a 2017, a defasagem é de 88,40%, de acordo com o Sindifisco Nacional.

Se fosse corrigida, a faixa de isenção de pagamento do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2018, que hoje é para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês, subiria para R$ 3.556,56 por mês.

Saiba como entregar a declaração e as novidades do IRPF para 2018

O Programa Gerador de Declarações - PGD Dirf2018 - de uso obrigatório – já está disponível no site da RF com o cronograma completo e também as novas regras. Está obrigado a declarar quem recebeu rendimentos tributáveis maiores a R$ 28.559,70 em 2017. No caso da atividade rural, deve declarar quem teve receita bruta acima R$ 142.798,50.  As declarações podem ser entregues de hoje até 30 de abril.

Uma das mudanças mais significativas no IRPF é a redução da idade obrigatória para o dependente, que antes era de 12 anos e agora passou para 8 anos. Essa regra, segunda a RF, vai aumentar a fiscalização. No caso de guarda compartilhada, cada filho poderá ser considerado como dependente de apenas um dos pais.

Lembrando que é fundamental que o contribuinte não perca o prazo para fazer a declaração. Nesse caso, pode ter que dar explicações à RF e ser multado (a multa é de 1% por mês de atraso sobre o imposto devido). Além disso, a sonegação de impostos é crime e pode ser punida com detenção de até 2 anos.

Vamos ainda falar mais sobre o IR 2018. Até a próxima!