Skip to content Skip to footer

Passo a passo para montar um planejamento orçamentário

Passo a passo para montar um planejamento orçamentário

Quer você esteja apenas começando um novo negócio ou tenha uma empresa consolidada, o planejamento orçamentário o ajudará a avaliar suas despesas, receitas e desempenho geral dos negócios para garantir a lucratividade de longo prazo.

Pensando nisso, criamos este guia simples para orientá-lo no desenvolvimento de um orçamento de negócios que funcione na prática e atenda às necessidades da sua empresa.

O que é um planejamento orçamentário?

Antes de nos aprofundarmos nas informações que você precisa incluir ao criar um orçamento, é importante que você entenda o que é um planejamento orçamentário e como ele pode ajudar a sua empresa.

Basicamente, um orçamento é um plano detalhado que tem como objetivo ajudá-lo a administrar seu dinheiro e controlar suas finanças.

Para montar um orçamento, são considerados dados do ano anterior nos negócios, bem como quaisquer tendências de mercado relevantes em seu setor que auxiliem na previsão de desempenho para o próximo ano.

Ao criar seu orçamento, você precisará detalhar as receitas que terá disponível e como elas devem ser alocadas. Além disso, você também pode utilizar o seu planejamento para evitar custos desnecessários que podem reduzir seus lucros ou até mesmo endividar sua empresa.

1.Estime as receitas mensais e anuais

Esta é provavelmente a parte mais difícil de um planejamento orçamentário, porque você pode não conseguir prever qual será o volume de vendas e receitas futuras da sua empresa.

Nesse caso, temos basicamente três opções:

  • Melhor cenário, no qual você mostra sua estimativa mais otimista para as vendas.
  • Pior cenário, em que você mostra seu cenário menos otimista, com poucas vendas durante o ano.
  • Cenário provável, um meio termo entre as duas alternativas anteriores.

Com exceção das empresas que estão em seu primeiro ano, o melhor caminho para estimar as receitas é somar todas as fontes de renda para encontrar o valor total das receitas obtidas no ano anterior.

2.Estime as despesas fixas e variáveis

Despesas fixas são custos que não mudam e não dependem do número de clientes que a sua empresa possui ou do seu volume de vendas.

Confira uma lista das despesas fixas mensais mais comuns:

  • Serviços de utilidade pública (água, luz);
  • Despesas com telefone;
  • Despesas com agências de marketing;
  • Honorários profissionais (jurídicos e contábeis);
  • Remuneração dos funcionários;
  • Despesas com aluguel.

Já as despesas variáveis mudam de acordo com o número de clientes com o qual você trabalha e com o seu volume de vendas.

Também separamos alguns exemplos para as despesas variáveis, confira:

  • Comissões sobre vendas;
  • Custos de produção;
  • Matérias-primas;
  • Custos com frete;
  • Taxas das operadoras de cartão sobre vendas.

Logo em seguida, você pode subtrair seus custos fixos e variáveis ​​da sua previsão de receitas para estimar a sua lucratividade para o próximo ano.

3.Crie uma reserva de emergência

Criar um fundo de emergência é um passo fundamental para que você possa cobrir despesas não previstas que podem aparecer durante o ano ou uma queda inesperada das vendas, mantendo mesmo nos momentos difíceis, as finanças da sua empresa em equilíbrio.

Defina em seu planejamento orçamentário, a destinação de uma porcentagem da receita de cada mês para a reserva de emergências.

Para mais dicas de gestão empresarial continue acompanhando o Blog da Zanini Auditoria.

Translate »